ABSORVENTES: PESQUISA E MEMÓRIA 2

Vamos voltar um pouquinho mais ao nosso passado recente. A internet hoje pode ser considerada a nossa antiga biblioteca, ou hemeroteca. Basta saber pesquisar. Com critério e boa vontade. Leia a matéria abaixo e tirem suas conclusões:

 

“Valor OnLine
11/07/2013 15h51 – Atualizado em 11/07/2013 15h51

Dilma veta isenção de PIS e Cofins para produtos de higiene pessoal
Valor OnLine

A presidente Dilma Rousseff vetou parte do texto da Medida Provisória (MP) nº 609, que reduz a zero a alíquota do PIS/PASEP e Cofins dos produtos da cesta básica. As escovas de dente, as fraldas descartáveis e os absorventes ficaram de fora da lista.

A inclusão desses produtos na cesta básica era um pleito da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec). Outros produtos do setor já recebem o benefício fiscal, como enxaguatórios bucais, cremes e fios dentais, papel higiênico e sabonetes.

Segundo a Abihpec, se a isenção dos impostos para essas categorias tivesse sido aprovada, haveria uma redução de preços dos produtos ao consumidor.

Classes D e E

No caso de fraldas e absorventes, a queda seria de 9,25%, favorecendo o acesso das famílias de classes D e E a esses itens. De acordo com a entidade, 15% das mulheres brasileiras não usam absorventes higiênicos e 19% das crianças não usam fraldas descartáveis.

O presidente da Abihpec, João Carlos Basilio, lamentou a decisão da presidente. Para ele, os produtos que foram vetados na MP são essenciais à saúde dos brasileiros.

Sobre o veto da isenção para às escovas dentais, Basilio diz que ‘é possível limpar os dentes, mesmo que de forma precária, utilizando apenas escova e água, porém não conseguimos o mesmo efeito usando só o creme dental’.

FONTE: G1 Economia