ORDEM UNIDA EM ITAIPU

A Usina Binacional de Itaipu está localizada no Rio Paraná, na fronteira Brasil-Paraguai e sua área abrange os municípios de Foz do Iguaçu e Ciudad del Este, mas como neste país a lógica de funcionamento de nossas estatais é exatamente a falta dela, o endereço oficial da empresa é em Curitiba, no centro da capital paranaense.

A seguir, o que diz o site Alerta Paraná: “A existência de uma suntuosa sede administrativa em Curitiba, há muito questionada pelo fato de a usina estar sediada em Foz do Iguaçu, custava muito mais que os R$ 208 mil pagos mensalmente a título de aluguel. Um relatório de controle interno revelou que apenas em 2014 a Itaipu gastou absurdos R$ 8,8 milhões com diárias e passagens para funcionários e gestores da usina no trajeto entre a fronteira e a capital do Estado”.

Esta farra com o dinheiro dos contribuintes está terminando com a chegada do general Joaquim Silva e Luna que assumiu a diretoria brasileira da usina que vivia uma “antigestão” sempre tolerada por governos anteriores. O novo diretor determinou que todos os 150 funcionários lotados em Curitiba nas chamadas unidades organizacionais fossem transferidos para Foz do Iguaçu e deu um prazo que vai de julho deste ano até janeiro de 2020.

Como quem comanda sabe que o bom exemplo vem de cima, ele abriu mão de todos os privilégios e já está residindo na Foz do Iguaçu e – acreditem! – tornou-se o primeiro diretor-geral brasileiro a viver e despachar onde a usina se localiza, nos seus 45 anos de existência.

Em três meses desde a sua decisão, a empresa já economizou R$ 1 milhão em passagens aéreas e diárias, pois havia uma ponte aérea de executivos e funcionários de Itaipu entre Curitiba e Foz do Iguaçu.