`
 

 

 

 
  Colunistas
 
 
 
 
 
 

 
“As instituições são boas. Quem pratica corrupção são as pessoas”.
Fábio Medina Osório, advogado, nas páginas amarelas da Veja

O AVIÃO DA MORTE

O jato executivo que matou Eduardo Campos e mais seis pessoas pelo que se vai descobrindo não poderia estar voando. Só mesmo num país como o Brasil, um jatinho como o Cessna que caiu em Santos voava sem condições técnicas. A Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) não sabia que o avião fora vendido e agora, depois do acidente, está solicitando à Polícia Federal para localizar algum representante do Grupo Andrade, de Ribeirão Preto, que deverá informar se o aparelho foi vendido.

A Anac tomou conhecimento da provável venda pelo noticiário que deu essa informação sobre a transação. O jato teria sido vendido há três meses para um empresário de Alagoas que o teria emprestado para a campanha eleitoral de Eduardo Campos.
 
Diz a lei que a venda de um avião em território nacional precisa ser comunicada imediatamente à Anac, fato que não ocorreu e para todos os efeitos o Cessna ainda está em nome do Grupo Andrade.
 
Mas o que está causando interrogações é sobre a caixa preta que não gravou os últimos momentos antes do acidente. O equipamento é decisivo para o esclarecimento de uma tragédia aérea. Não é por acaso que o sumiço daquele avião da Malaysian Airlines provocou a maior busca aérea das caixas pretas do Boeing 777-200.
 
No caso do acidente com Eduardo Campos, o jato não registrou o que aconteceu e os investigadores da FAB só encontraram duas horas de gravação de áudios de vôos anteriores.
 
É claro que ainda será possível localizar as causas do acidente, pois foram recuperadas partes das duas turbinas que serão examinadas, mas o acidente revela bem como são os vôos de aeronaves particulares pelo imenso território brasileiro. Esse mesmo jato já tinha apresentado problema de ignição, fato que pode ter provocado corte de energia para equipamento que comanda e alimenta as informações para a caixa preta.
 
O que se espera da FAB é uma investigação completa desse acidente que traumatizou o Brasil e, se houver culpados pela negligência na fiscalização do jato, que os mesmos sejam punidos com os rigores da lei.

ERA ESPERADO

O resultado da recente pesquisa do Instituto Datafolha já tendo Marina Silva como candidata do PSB era esperado por todos os analistas políticos. Marina candidata leva a eleição presidencial para o segundo turno.

PT ANGUSTIADO

O comando nacional petista suou frio quando soube que Marina Silva venceria Dilma Rousseff num segundo turno. E com a divulgação da pesquisa, o PSB não pensa mais em outro nome para o lugar de Eduardo Campos. Vai investir tudo o que puder na campanha de Marina.

NÃO DUVIDEM (1)

Não é de duvidar uma reviravolta petista, caso as próximas pesquisas confirmem o crescimento de Marina Silva e o de sua vitória numa disputa de segundo turno com Dilma Rousseff.

NÃO DUVIDEM (2)

Petistas que não querem deixar a zona de conforto de ser governo há doze anos já falam na possibilidade do “volta, Lula”. Lula nega, mas ele está pronto para substituir Dilma.

AQUI NO RS

Eduardo Campos tinha todas as simpatias do PMDB gaúcho para ser o candidato que receberia a companhia de José Ivo Sartori na campanha majoritária. O mesmo ocorrerá com Marina Silva aqui no estado?