`
 

 

 

 
  Colunistas
 
 
 
 
 
 

 
“Há dentro e fora da companhia pessoas que podem assumir a cadeira da presidente, mas acreditamos em nós, na nossa moral”.

Graça Foster, presidente da Petrobrás, ainda no cargo

O CASO CELSO DANIEL

O Supremo Tribunal Federal (STF) anulou nesta terça feira, 16, o processo do caso Celso Daniel, prefeito do PT de Santo André, na Grande São Paulo, assassinado a tiros em janeiro de 2002. A ação terá que ser refeita desde a etapa dos interrogatórios dos acusados.

Este caso ainda é um mistério para muita gente que conhece os detalhes da morte do prefeito, emboscado ao lado de seu amigo, Sérgio Gomes da Silva, acusado de ser o mandante do crime.
 
O caso Celso Daniel, desse jeito, jamais será solucionado. O assassinato do prefeito de Santo André ocorreu há 12 anos, em circunstâncias nebulosas. Testemunhas foram mortas em série, em circunstâncias também nebulosas, para dizer o mínimo. E daqui a pouco o crime prescreve, não haverá mais a menor possibilidade de punição. E até hoje o mensaleiro Marcos Valério não foi ouvido a respeito.
 
E por que se cita o nome do mensaleiro Marco Valério, cumprindo pela de 40 anos de prisão por ser o operador daquela falcatrua que comprou parlamentares? Porque Valério sempre disse que “tinha o nome, endereço e CPF de quem matou ou mandou matar as sete testemunhas que iram depor sobre o assassinato do prefeito de santo André”.
Para o Ministério Público Estadual, Celso Daniel foi morto porque descobriu em sua própria gestão na Prefeitura de Santo André um esquema de corrupção e propinas para o partido ao qual ele pertencia.

Para a Polícia o então prefeito foi morto por “bandidos comuns, sem motivação política”. A decisão cria um imbróglio jurídico porque o processo já tem seis condenados.

EM CANA

Foi preso nesta quarta-feira o vereador de Bom Jesus investigado pelas mortes de 126 cães no município dos Campos de Cima da Serra. Rafael Oliveira Silveira cumpria liberdade provisória em função da participação em um homicídio de trânsito. O benefício foi revogado. O parlamentar era secretário municipal quando passou a ser indiciado pela matança de animais, mas licenciou-se e voltou à Câmara. Na noite desta quinta-feira  ele previa disputar a presidência do Parlamento.

MUDANÇA DE POSIÇÃO

O relator da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras, deputado Marco Maia (PT-RS), reformou hoje um parecer, apresentado na semana passada, para incluir o pedido de indiciamento de 52 pessoas, o aprofundamento das investigações sobre outras oito e admitir o prejuízo de US$ 561,5 milhões na compra da Refirnaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

A PROPÓSITO...

O colunista Políbio Braga publicou foto de uma mansão avaliada em R$ 3,5 milhões de propriedade do deputado Marco Maia, construída num condomínio fechado no município de Canoas.

FRAUDE NO LEITE (1)

O esquema de pagamento de propina por parte de indústrias de laticínios do Vale do Taquari para fiscais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) já se estende há 20 anos. As informações foram repassadas pelos delegados Sandro Luciano Caron, Thiago Delabary e Daniel Justo Madruga, que estão à frente das investigações, e revelaram os detalhes em entrevista coletiva referente à Operação Pasteur, deflagrada ontem.

FRAUDE NO LEITE (2)

Segundo os policiais, quatro servidores estão envolvidos no esquema de propina: um servidor recém aposentado e quatro fiscais. Os nomes, entretanto, não poderão ser divulgados uma vez que o caso corre em segredo de justiça. Caso sejam condenados, as penas podem variar de 2 a 12 anos de reclusão, segundo perspectiva dos delegados que coordenaram as investigações.